É como traduzir o silêncio que me sustenta. Páginas em relevo com o meu sagrado. Meu segredo. Secreto santuário. Flores do meu jardim, frutos do meu quintal. Mais uma parte que parte, põe-se a caminho, segue viagem, vai embora, retira-se, afasta-se, foge. Mais uma parte que parte, dividi-se, separa, quebra, reparte-se. Mais uma parte que parte, tem origem ou começo, procede, provém, decorre, deriva, nasce de mim.Mais uma parte do segundo mais tarde, nas ruas que escolhi.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Contrário

Gosto dos contrastes, dos opostos, dos complementos.
Das flores e dos espinhos
O gosto do desgosto
Do bem e do mal
Do intenso e do suave
Do grito no silêncio
Da voz muda
Da lágrima de quem ri
Do riso de quem chora
Manga com feijão
Do suor frio
Gosto também do branco no preto.
Preto no branco é certo!
Quando está tudo preto e branco é meio estranho
Se misturar dá cinza e também é estranho
O estranho é que é contraste...
E o que seria do equilíbrio se não fossem os extremos, os excessos, os ardentes?
Gosto do equilíbrio, do meio termo, da sensatez
Os contrários se completam
O contra vira versos
Controverte, disputa, rebate
E converge tudo em uma coisa só

PS.  Inspiração: Roberta ,  Carla Bruni em l´excessive e todas as coisas da vida.

3 comentários:

Rô Rezende disse...

Ouvindo a dona primeira dama. Só num gosto de manga com feijão (rs), do resto eu gosto. Os contrastes me deixam louca, mas eu os adoro. E me senti honrada! :O

PS: Música gostosa da Carla Bruni, francês é uma língua tão bonita!

Rose Martins disse...

Que lindo minha amiga!
Obrigada por compartilhar.
Te amo verdadeiramente.
Vc é um presente lindo que Deus deixou para mim nesta vida.
Grande beijo.

Gustavo disse...

Oii Fer =)
Já conhecia vários talentos seus, mas não conhecia esse seu dom com palavras! Muito bons seus textos! e obrigado por ter seu blog compartilhado comigo!

bjaum

Postar um comentário